[RESENHA]: Anna e o Beijo Francês - Stephanie Perkins


Alerta de livro Suuuuper Amorzinho 
É impossível não se apaixonar por Anna e Étienne minha gente, a história, o cenário (como eu queria conhecer Paris) é tudo lindo, e te faz suspirar a cada página. Depois de ler o livro 20 vezes (sem exageros) resolvi fazer uma resenha para vocês!  Se apaixonem...



Título: Anna e o Beijo Francês
Autor(a): Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Ano de lançamento: 2011

Sinopse: "Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com o Dia da Bastilha. O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão a estes — em cada esquina... Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris. A Cidade Luz! A cidade mais romântica do mundo." 


TAG #Mini-Tags do Insta


Bom dia pessoal, tudo bem com vocês? Estou um pouco sumida daqui né? Estou tentando melhorar a frequência dos posts aqui no blog, mas por enquanto e final do semestre na faculdade (e principalmente o TCC) não estão permitindo... Mas em breve vou entrar de férias e isso vai melhorar! 

Pois bem, respondi muitas tags no insta essa semana, todas muito fofas, e resolvi trazê-las para cá, para que os leitores do blog tenham acesso também, o que vocês acham? Fiquem a vontade para responde-las no seu blog, e deixem o link do seu blog nos comentários para que eu possa conhecer!

Agora, vamos as Tags?


[RESENHA]: A Aposta - Vanessa Bosso


Que livro amorzinho gente! Esse mês, resolvi conhecer mais autores nacionais, afinal, temos que valorizar mais a cultura do nosso país não é mesmo? Li A Aposta em menos de 24 horas, amei cada um dos personagens, o cenário, a escrita da autora... Enfim, foi um livro que não me decepcionou em nenhum detalhe, e que me deixou super ansiosa para a sua continuação!

Qual o seu gênero literário favorito?


O mercado literário está cada vez mais amplo, e assim sendo, cada vez mais surgem novos autores, novos gêneros e novas classificações literárias. Teoricamente só existem três gêneros literários: o Narrativo ou Épico, o Lírico e o Dramático, e a partir deles temos vários sub-gêneros, que se classificam pela temática, faixa etária, estrutura, tempo e etc.

Com tantas classificações, nós muitas vezes ficamos um pouco perdidos não é mesmo? Até porque muitas vezes temos mais de um sub-gênero incluso no mesmo livro, por exemplo: romance e humor, infanto-juvenil e fantasia, ou um Sick-lit com ambientação New Adult e grande carga de drama. Então, para classificar um livro é necessário identificar o elemento que se destaca dos demais, sendo então a característica principal do mesmo. Selecionei os "sub-gêneros" literários mais comuns atualmente, (a maioria originada do gênero Narrativo), exemplificando com livros conhecidos que se enquadram no mesmo.

Romance
As produções literárias que aqui se enquadram trazem um enredo integral, com marcas temporais, cenários e personagens determinados com precisão. A diferença entre romance e novela não é clara, mas costuma-se definir que no romance há um paralelo de várias ações, enquanto na novela há uma harmonização de ações individualizadas. No romance, uma personagem pode surgir a meio da história e desaparecer depois de cumprir sua função. Outra distinção importante é que no romance o final é um enfraquecimento de uma combinação e ligação de elementos heterogêneos, não o clímax.



Romance Policial
É uma categoria literária estruturada em torno de um crime, das indagações, investigações, pesquisas e por fim a revelação do malfeitor. Nesse tipo de gênero literário, o foco remete para o processo de elucidação do mistério, empreitada geralmente a cargo de um detetive, seja ele profissional ou amador. A essência da narrativa policial é a busca pela identidade desconhecida.




Drama
Qualquer narrativa no âmbito literário em que haja conflito ou atrito. É todo texto ficcional de caráter "sério", não cômico, que apresenta um desenvolvimento de fatos e circunstâncias compatíveis com os da vida real. Na vida cotidiana um conjunto de acontecimentos complicados, difíceis ou tumultuosos pode ser um drama, assim como um acontecimento que causa dano, sofrimento, dor.




Terror

O gênero de terror ou horror na literatura tem a intenção ou capacidade de atemorizar ou assustar os seus leitores, através da inclusão de sentimentos de horror e terror. Em suas diversas manifestações, é natural a existência de uma assustadora atmosfera de estranheza. O terror pode ser tanto sobrenatural, como não sobrenatural. Comumente a central ameaça por trás de uma obra de ficção de terror pode ser interpretada como uma metáfora para os grandes medos da sociedade.



Poesia

É uma das sete artes tradicionais, pela qual a linguagem humana é utilizada com fins estéticos, ou seja, ela retrata algo em que tudo pode acontecer dependendo da imaginação do autor como a do leitor. A poesia compreende aspectos metafísicos (no sentido de sua imaterialidade) e da possibilidade de esses elementos transcenderem ao mundo fático.






Fantasia

A fantasia é considerada um gênero que faz uso da magia e de outros elementos sobrenaturais como peças importantes que permeiam uma obra. A fantasia distingue-se da ficção científica e do horror de três formas: temática individual do autor, atmosfera criada e aspecto geral. Na fantasia, o universo criado ou os personagens diferem da realidade. Na maioria dos trabalhos, a fuga da realidade é, geralmente, explicada por intervenções de divindades, magia, forças ocultas ou sobrenaturais.





Ficção Científica

A Ficção Científica costuma ser definida como um gênero literário que engloba histórias fictícias, mas que se propõem a fantasiar sobre algo possível, mesmo que não o seja no presente. Lida principalmente com o impacto da ciência, tanto verdadeira como imaginada, sobre a sociedade ou os indivíduos. O termo é usado, de forma mais geral, para definir qualquer fantasia literária que inclua o fator ciência como componente essencial, e num sentido ainda mais geral, para referenciar qualquer tipo de fantasia literária.




Distopia

Distopia é o contrário de um mundo perfeito, ou seja, o contrário de uma utopia. As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo, por opressivo controle da sociedade. Nelas, caem as cortinas, e a sociedade mostra-se corruptível; as normas criadas para o bem comum mostram-se flexíveis. A tecnologia é usada como ferramenta de controle, seja do Estado, seja de instituições ou mesmo de corporações.




Young Adult ou YA (Jovem Adulto)

Literatura para pessoas de 14 a 21 anos. Separa-se de Literatura infanto-juvenil por deixar de lado a ingenuidade dos protagonistas e concentrar-se em temáticas mais adultas. É um gênero bem abrangente. Também entra nessa definição o "Kidult" (abreviação de Kids + Adults), que se refere ao adulto com hábitos de jovens (adolescentes).



New Adult

Os livros deste gênero são direcionados particularmente à faixa etária que vai dos 18 aos 25 anos, estágio que sucede o da adolescência, embora eles contemplem também outros leitores. Conta com personagens em suma maioria também nessa faixa etária, iniciando sua vida adulta e aborda temas mais maduros como primeiro emprego, faculdade, amadurecimento pessoal, sexo, etc.





Eróticos (soft porn)

A literatura erótica é o gênero literário que utiliza o erotismo em forma escrita, para despertar ou instruir o leitor sobre as práticas sexuais. Pode também ser chamada de literatura pornográfica, se as cenas sexuais são realmente muito explícitas. Em sua maior parte utiliza-se do gênero literário romance de uma forma mais madura e picante.




Chick-Lit

Chick lit é um gênero ficção dentro da ficção feminina, vulgarmente chamada de “livro de mulherzinha”, que aborda as questões das mulheres modernas. Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa. Apesar de algumas vezes que inclui elementos românticos, o chick-lit geralmente não é considerada uma subcategoria direta do gênero romance, porque, no Chick-lit a relação da heroína com sua família ou amigos pode ser tão importante quanto a seus relacionamentos românticos.




Sick-Lit
Críticos e classificadores de plantão já colaram uma etiqueta não muito lisonjeira nestas obras – sick-lit, que no idioma português pode ser traduzido como ‘literatura enferma’ ou ‘doentia’. São caracterizados por narrativas tristes, melancólicas, algumas até bem depressivas. Aborda temas como bullying, depressão, suicídio, homicídio, doenças graves (como câncer), distúrbios alimentares, etc.





Eu não tenho apenas um gênero literário, tenho vários... Se o enredo me interessa eu leio! Ainda há muuutios gêneros e sub-gêneros que não foram listados aqui, listei apenas os mais conhecidos, mas já dá para ter uma boa base não é mesmo?

E vocês, após a nossa não tão breve explicação, sabem dizer qual o seu gênero literário favorito?



Fonte:  http://www.infoescola.com/generos-literarios/

[RESENHA]: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares - Ransom Riggs

Título: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares
Autor(a): Ransom Riggs
Editora: Leya
Ano de lançamento: 2012

Sinopse: "Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo por mais impossível que pareça ainda podem estar vivas. Uma fantasia arrepiante, ilustrada com assombrosas fotografias de época, O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares vai deliciar adultos, adolescentes e qualquer um que goste de aventuras sombrias."

Em "O Orfanato" (vou encurtar o nome um pouquinho rsrs) conhecemos Jacob e sua família. Sua  mãe vem de uma família rica, dona de uma rede de supermercados, onde o garoto está estagiando. Jacob já fez de tudo para ser demitido, mas por ser um futuro herdeiro, trabalhar na empresa da família não é uma opção. Seu pai está sempre correndo atrás de um projeto/sonho, mas no fim, todos acabam guardados em alguma gaveta. A pessoa com quem Jacob se dá melhor na família é o seu avô paterno, Abraham, que sempre lhe conta histórias de seu passado, de como ele teve de lutar com "monstros" quando era mais jovem, ou de seus amigos peculiares, que conheceu no Orfanato da Srta. Peregrine. Além das histórias, Abraham mostrava a Jacob fotos um tanto quanto diferentes de seus amigos, como por exemplo crianças levitando, ou em posições perturbadoras.

As histórias sempre soaram meio fantasiosas aos ouvidos de Jacob, e na medida que foi crescendo, foi deixando de acreditar nelas, até que seu pai lhe contou que seu avô era Polonês e que foi parar no orfanato fugido da guerra, e depois, deixou o orfanato para lutar na guerra pelo seu povo. Explicou que Abraham contava historias fantasiosas para mascarar as crueldades da guerra, e que por isso e por outros motivos, pai e filhos não eram muito próximos. Até o dia em que Abraham tem um ataque e começa a afirmar que os monstros estão de volta.

Quando o avô morre, Jacob começa a ter visões e seus pais o fazem consultar um psiquiatra, que o diagnostica com choque pós-traumático. Sentindo falta do avô, Jacob decide viajar até a ilha no País de Gales, para conhecer o orfanato onde seu avô passou a infância e adolescência, conheceu tantos amigos peculiares, e até mesmo entender melhor o avô e suas histórias... E é aqui que a história toma um rumo fantástico, que leva Jacob a questionar a veracidade das histórias do seu avô, e até mesmo, a causa de sua morte.

Eu amei tudo nesse livro! A capa me chamou a atenção logo de cara, dá aquela impressão de livro de terror né? Além disso, o livro é cheio de fotografias de época, que ajudam a narrar a história e deixa a leitura muito mais interessante!

Gostei muito da ideia do enredo de Riggs e a forma como ele construiu a narrativa, com um tom sombrio e deixando a realidade e o fantástico muito próximos. As fotos espalhadas pelo livro – a maioria das crianças peculiares – ajudam a criar essa atmosfera fantasiosa e dão um toque todo pessoal ao livro. Estou super ansiosa para o próximo livro, é um dos meus preferidos, e espero que seja o de vocês também! 
© Entre Páginas | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger