[RESENHA]: A Rebelde do Deserto - Alwyn Hamilton


Título: A Rebelde do Deserto
Autor: Alwyn Hamilton
Páginas: 312
Editora: Seguinte
Sinopse: “O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.
Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por revelar a ela o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.”
Olá pessoal, tudo bem com vocês? Quem aí gosta de uma aventura de tirar o fôlego, uma Girl Power das melhores, um forasteiro misterioso cheio de boas (?) intenções, e muito tiro, “pancada” e bomba pra tudo quanto é canto? Pois tudo isso vocês encontram em A Rebelde do Deserto.

Amani é uma órfã que vive com os tios e vários outros primos, após sua mãe ter sofrido pena de morte por cometer um crime grave. Não é uma vida nada fácil, uma vez que os tios a maltratam (devido a história de sua mãe), os primos não se relacionam bem com ela, e ela ainda é obrigada a trabalhar na loja dos tios e suportar a ideia de um casamento arranjado.

Tendo tudo isso em vista, e não sendo nada submissa, ou tipo que aceitaria toda essa história sem lutar, Amani resolve que a melhor saída para seus inúmeros problemas seria fugir de Vila da Poeira, e tentar a vida na Capital, que só conhecia pelas histórias maravilhosas que ouvia de sua mãe quando criança. E a oportunidade surge quando um forasteiro misterioso aparece em sua vida, trazendo consigo a perspectiva de uma vida longe de Vila da Poeira e seus casamentos arranjados, miséria, conflitos com os familiares... Tudo que Amani precisa fazer é convencer o forasteiro a ajudá-la a fugir, e quando os interesses dos dois se tornam comuns, isso pode acontecer.


Jin é um forasteiro cheio de segredos, que aparece e reaparece na vida de Amani em situações um pouco... Complicadas. Ele logo de cara reconhece a força de Amani, e percebe que seu lugar não é a Vila da Poeira. Quando Amani o ajuda em uma de suas situações “complicadas”, Jin resolve lhe ajudar em seus objetivos, mas claro, sem revelar os seus planos ou suas verdadeiras intenções.

Os dois então começam uma viagem pelo deserto, em busca dos sonhos de Amani, e dos planos “não revelados” de Jin. Amani descobre que o deserto é completamente diferente do que ela pensava em todos os sentidos; belo, mágico, mas também traiçoeiro e perigoso. Aos poucos, a confiança entre os dois vai se estabelecendo (depois de Amani passar a perna em Jin várias vezes haha) e Jin começa a revelar um pouco mais sobre si e sua história a Amani.

Mas como nem tudo são flores, a viagem dos dois passa por muito mais situações inesperadas, conflitos e “tiros” do que os dois esperavam. A vida e coragem de Amani e Jin são postas a prova várias vezes, e no fim, dessa jornada, temos revelações surpreendentes, e percebemos que desde o início a história de nossos dois protagonistas já estava traçada, com um destino bem diferente do que todos nós imaginamos. 


Desde que a Seguinte começou a postar fotos da produção desse livro, eu fiquei completamente encantada, e já quis ler mesmo sem saber do que se tratava. O trabalho gráfico está impecável, com detalhes dourados na capa, nas páginas e até mesmo marcador para recortar na contra capa, é muita atenção com o leitor não é mesmo?

A história é maravilhosa, com um enredo muito bem construído e personagens de personalidades muito fortes. Alwyn foi bem detalhista e criou uma história com pessoas de vidas sofridas tentando sobreviver, um rei tirano querendo todo o poder sem pensar no bem do próprio povo, uma oposição disposta a lutar com unhas e dentes por um futuro digno, e um deserto cheio de seres mágicos, com uma mitologia fácil de gostar.

Amani tem personalidade forte, é decidida e luta pelos seus objetivos! Não pensa duas vezes antes de se colocar em perigo por algo que deseja ou por alguém que gosta. É fiel, amiga, sabe se defender super bem (é uma das melhores atiradoras já vista), faz Just ao #GirlPower com orgulho. Já Jin, mesmo com todo o charme, beleza e mistério em volta dele, não conseguiu me conquistar muito, não como os protagonistas masculinos geralmente me conquistam haha. Mas ainda assim, é um bom personagem.


O romance está presente na história, mas não é foco principal da narrativa. Temas como amizade, luta por direitos, família, e questões sobre o que estamos dispostos a fazer, e quem estamos dispostos a ser, são mais trabalhadas no livro. Mas não pensem que por isso a narrativa é cansativa ou desprovida de emoção, pelo contrário! O livro é repleto de cenas de ação, momentos divertidos, troca de farpas e muitas surpresas! Se você gosta do gênero, recomendo sem medo!  

Espero que tenham gostado da resenha pessoal, beijos e até a próxima!

[RESENHA]: Fugitivos - Carlos H Barros


Livro: Fugitivos
Autor: Carlos Barros
Editora: Giostri
Páginas: 647

Sinopse:De onde vem a amizade? O que é necessário para se ter uma vida melhor?
Caio, um carioca de 15 anos, perdeu os pais em uma tragédia e foi morar com a avó em Belo Horizonte. Traumatizado pelo incidente que vitimou sua família, ele não tem mais desejo de retomar sua vida. Até que conhece Fernanda, uma menina de 15 anos, que protege o irmão Jonas, de 11 anos, do temperamento violento do pai. Ao mesmo tempo, Caio fica amigo de Gabriel, um rapaz de 17 anos, e Bianca, a irmã de 5 anos. Os dois perderam a mãe, por ela ser viciada e ter sofrido uma overdose, e o pai está preso. Ficam sob a tutela da Justiça e do irmão mais velho, de 20 anos, que apóia o pai em planos escusos para melhorarem de vida.
Em Fugitivos, acompanhamos o amor nascer entre Caio e Fernanda, sentimento que será o catalisador de uma briga, que colocará em risco a segurança dos dois, e a força da amizade que surge entre os cinco jovens, de forma tão intensa, que o drama de cada um deixa de ser individual e passa a ser de todos. No momento em que suas histórias se misturam, eles precisam fugir para salvarem suas vidas. Nessa corrida emocionante, que atravessa os estados de Minas Gerais, Bahia, Alagoas e Pernambuco, mais de dois mil quilômetros, iremos descobrir seus sonhos, seus medos, suas tristezas e suas alegrias, tudo envolto por muito suspense, perigo, romance e reviravoltas surpreendentes.

Oi minha gente, tudo bem com vocês? Hoje trago a resenha (um pouquinho atrasada) de um livro muito especial para mim, que ganhou meu coração! Carlos Barros escreveu uma história emocionante, rica, uma aventura inesquecível, que viaja por todo o Brasil, e pela imaginação do leitor. Fugitivos conta a história de cinco jovens e seus problemas, alegrias e tristezas. Mostra-nos o valor da amizade, e como nos momentos mais difíceis da vida, descobrimos quem são as verdadeiras pessoas com quem podemos contar.

Caio é um garoto de 15 anos, do Rio de Janeiro, sobrevivente de uma tragédia que vitimou seus pais, e que então é levado para morar com a avó (de quem não é muito próximo) em Belo Horizonte. Cheio de cortes pelo corpo e a tristeza estampa no rosto, Caio busca se acostumar com a nova vida, nova casa, nova escola e amigos, enquanto luta com a dor pela perda dos pais.

Fernanda e Jonas são irmãos, filhos de uma mãe omissa e um pai violento. Sempre que algo o desagrada, o pai dos jovens desconta em Jonas, chegando a bater no menino a ponto de machucá-lo. Fernanda luta contra isso, e já tentou denunciar o pai algumas vezes, mas como Jonas sempre nega as surras (devido a alguma ameaça do pai) todas as tentativas foram em vão. Então, a menina se contenta em fazer as coisas escondida, e torcer para não contrariar o pai.

Gabriel é um jovem negro, extremamente simpático, ex-namorado de Fernanda e que trabalha na banca de revistas da avó de Caio. Seu pai está preso, e sua mãe morreu de overdose há alguns anos atrás. Junto a ele moram Mauro, seu irmão mais velho que compactua das idéias e planos escusos do pai, e Bianca, sua irmã mais nova, e a razão da vida de Gabriel. Bianca é uma criança adorável, que sempre dá um tom de leveza, até nos momentos mais tristes da história.

A amizade entre os cinco surge de forma quase imediata, e pouco a pouco, essa amizade vai ajudando a todos a enfrentar os problemas do dia-a-dia. Caio logo se apaixona por Fernanda, e esse novo sentimento trás muitas emoções e situações inesperadas para a vida de ambos. (Infelizmente, nem todas positivas).



O livro é divido em duas partes: na primeira, conhecemos melhor os personagens, suas histórias e a forma como as mesmas se entrelaçam, até os acontecimentos que desencadeiam a segunda parte do livro... Na segunda parte, bem, não vou falar sobre ela, mas posso dizer que é bastante emocionante!

Carlos Barros criou uma história maravilhosa, com personagens bem construídos e um enredo tão denso e ao mesmo tempo tão simples, que li as 647 páginas sem nem ver passar. Boa parte da história é ambientada em Belo Horizonte, minha cidade, então foi muito fácil me conectar com o enredo, visualizei claramente todas as situações descritas ao longo do livro. É tudo muito rico em detalhes, e de fácil compreensão.

Os personagens são todos extremamente cativantes. No início do livro conseguia sentir a dor de Caio, e quando ele conta como perdeu os pais, eu chorei junto aos personagens. Aos poucos vamos acompanhando sua evolução, e a forma como ele lida com a dor através da amizade.

Jonas e Bianca são crianças adoráveis. Bianca dá um tom leve em toda a leitura, com a sua inocência e forma de ver o mundo. Jonas é extremamente forte, suporta muitas coisas pela irmã, e isso me fez admirá-lo cada vez mais ao longo do livro.

Gabriel foi o que mais me conquistou, pelo cuidado com a Bianca, e esforço para ter uma vida melhor. Desde o início simpatizei muito com ele, e não me arrependi.  É carismático, educado, atencioso, tem um coração enorme e faz de tudo pelos amigos! Desde cedo teve que aprender o que é ser responsável por alguém, e isso foi o que finalmente o fez se sentir parte de algo.

Fernanda foi a que menos me conquistou, talvez pela sua insegurança, não sei ao certo. Não me decepcionou, nem “negativou” a história, só não consegui me conectar com ela assim como aos outros personagens.



Mesmo o livro sendo narrado em terceira pessoa, podemos ter a percepção de cada personagem a respeito da sua situação e da dos demais. Com um enredo muito detalhado e descritivo, Fugitivos mexe com todas as emoções do leitor, nos faz desejar cada página, querer saber o que acontece com aqueles cinco jovens, e como, apesar de todos os problemas e dificuldades, eles conseguem sorrir com coisas tão simples na vida. Apesar dos traumas e dificuldades que muitos tem, eles encontraram uns nos outros a família que tanto queriam. A vida lhes deu uma segunda chance de conhecerem o que é ter um amor incondicional, que só uma família pode lhe proporcionar.

Fugitivos é um livro que recomendo a qualquer leitor, independente do seu gosto, idade,preferências literárias. É um livro de muita reflexão e de entendimento do que a vida pode oferecer e como o seu caráter é essencial. Que família não é só aquela que feita por laços de sangue, e sim, também, aquela à sua escolha, basta você saber identificar quem são seus verdadeiros e leais amigos.


Espero que tenham gostado pessoal, beijos e até a próxima!
© Entre Páginas | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger