[RESENHA]: Caixa de Pássaros - Josh Malerman


Título: Caixa de Pássaros – Não Abra Os Olhos
Autor: Josh Malerman
Páginas: 272
Editora: Intrínseca
Ano de Publicação: 2015
Compare e compre: Amazon | Submarino

Sinopse: “Romance de estréia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.
Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois de o surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.”

Olá minha gente, tudo bem com vocês? No mês do terror, eu tinha que trazer alguma resenha do gênero não é mesmo? Porém, como a pessoa medrosa que sou, o máximo que consigo chegar é o suspense, e para representar, hoje trago a resenha de Caixa de Pássaros, um livro que protelei a leitura por muito tempo (por ter certo medinho rs), mas quando finalmente li, me apaixonei! Foi surpreendente, tanto a história quanto a minha reação a ela.

Quem já leu ou viu alguma resenha de Caixa de Pássaros, sabe que o final é meio “polêmico”, e as pessoas amam ou odeiam o livro por isso. Eu já comecei a leitura com essa expectativa, sabendo que poderia odiar o final, e quando finalmente ele chegou, eu entendi a revolta de algumas pessoas, mas também consegui entender a ideia do autor com esse final “aberto” vamos dizer assim, e isso me fez gostar mais ainda do livro.
O HOMEM É A CRIATURA QUE ELE TEME.

Caixa de Pássaros tem sua história narrada em terceira pessoa, e acompanha a história de Malorie, uma sobrevivente, no presente e há quatro anos, quando “O Problema” começou. Os capítulos são alternados entre esses dois pontos da narrativa, em que em determinado momento convergem para o grande final. O interessante é o modo como o autor explorou esta narrativa alternada em dois tempos, pois já sabemos de certa forma, o que vai acontecer, mas nem por isso o suspense é quebrado.

Tudo começou com rumores, casos isolados, mas então, esses casos começam a acontecer com mais freqüência, ganham mais e mais força, espalhando-se por vários cantos do planeta, de forma semelhante; não poderia ser coincidência. A pessoa tem um acesso de loucura, de raiva, ataca quem estiver próximo e depois se mata. As mortes são horríveis e inimagináveis. E aparentemente o surto começa quando a pessoa vê alguma coisa. Ninguém sabe dizer o quê, afinal quem viu está morto agora.

As pessoas começam a não sair de casa. Ninguém pode abrir os olhos, não se pode sair as ruas sem uma venda, não se sabe em quem confiar. Com o tempo as autoridades somem. As portas estão sempre trancadas, cobertores tapam as janelas das casas, a internet não funciona mais, nem o telefone. E há sempre o medo. O medo do desconhecido, o medo de abrir os olhos, e ver algo que não deveria estar lá fora, espreitando, esperando. O que seriam estas coisas que traziam loucura para quem os olhasse? Uma loucura, uma insanidade terrível capaz de destruir a vida? Criaturas? Monstros?

Quatro anos antes, Malorie fez parte de um grupo liderado por Tom, seu amigo leal, e formado por pessoas que não se conheciam, mas que se uniram para resistir ao terror oculto, na tentativa de criar certa ordem a partir do caos. Hoje, abrigada com duas crianças, Garoto e Menina, em uma casa abandonada, e obrigada a sair sempre de olhos cobertos, Malorie logo aprende a realizar tarefas, e inclusive percorrer distâncias mais longas, às cegas. O surgimento de uma misteriosa neblina faz com que ela decida finalmente deixar a casa e embarcar com a família numa arriscada jornada, de olhos vendados, confiando apenas em sua perspicácia e no ouvido treinado das crianças. Mas do que eles estão fugindo e onde pretendem começar a vida? O que aconteceu há quatro anos?

"Ela imagina a casa como se fosse uma grande caixa. Quer sair daquela caixa [...] O planeta inteiro está trancado nela. O mundo está confinado à mesma caixa de papelão que abriga os pássaros lá fora. [...] Encaixotados, pensa. Para sempre."

Josh Malerman conseguiu desenvolver um terror psicológico brilhante, uma história que nos mostra que o que mais tememos na verdade, é o desconhecido. Já disse para vocês que tenho medo de livros de terror, e justamente por isso a história me surpreendeu, recomendo a quem também tem esse medo, pois como disse anteriormente, o terror é psicológico, nem tanto visual. Mas, sim, há cenas no livro que me arrepiaram. São poucas cenas mais explícitas de terror, mas foram colocadas na medida certa, a meu ver, e são sensacionais! Mostram toda a insanidade e loucura deste novo mundo. O autor também mostra em seu livro que muitas vezes a ameaça pode ser o próprio ser humano e sua mente.

Como disse no início da resenha, muita gente não gostou do livro, e marcou como ponto negativo a falta de alguns pingos nos is. A falta de explicação para uma das principais perguntas do livro pode ser muito frustrante, principalmente para aqueles leitores que necessitam de um final “amarradinho”.  Eu sou uma leitora que gosta de tudo bem explicado, e, no entanto, fiquei satisfeita com o final de Caixa de Pássaros e todas as suas pontas. Acho que não é um livro que precisa ser explicado, não condiz com a história. Afinal, como explicar algo que não pode ser visto, só ouvido, sentido? A história é narrada em terceira pessoa, nos conta o ponto de vista dos personagens, acompanha a jornada de Malorie, alguém que também não sabia o que estava acontecendo... Então, como a resposta surgiria do nada não é mesmo?

Caixa de Pássaros é sim um ótimo livro de suspense psicológico, com uma pitada de terror e muita tensão. É um livro que explora o medo de uma forma crua, expondo tudo o que há de mais primitivo no ser humano. É um livro para ler de uma vez só, eu mesma não conseguia largar a leitura, ansiosa pelo desfecho! E sim, eu amei, e recomendo a todo mundo!

Assistam o Booktrailer:

Espero que tenham gostado da resenha pessoal!
Doces ou travessuras?!

Beijos e até a próxima!
© Entre Páginas | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger