[Resenha]: O Livro de Memórias - Lara Avery


Resultado de imagem para o livro de memorias


Título: O Livro de Memórias
Autor: Lara Avery
Páginas: 352
Selo: Seguinte
Ano de Publicação:  2016
 
Sinopse: Sammie sempre teve um plano: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e sair da cidade pequena onde mora o mais rápido possível. E nada vai ficar em seu caminho — nem mesmo uma rara doença genética que aos poucos vai apagar sua memória e acabar com sua saúde física. Ela só precisa de um novo plano. É assim que Sammie começa a escrever o livro de memórias: anotações para que posteriormente ela mesma possa ler e jamais esquecer. Ali, a garota registra cada detalhe de seu primeiro encontro perfeito com Stuart, um jovem escritor por quem sempre foi apaixonada, e admite o quanto sente falta de Cooper, seu melhor amigo de infância de quem acabou se afastando. Porém, mesmo com esse registro diário, manter suas lembranças e conquistar seus sonhos pode ser mais difícil do que ela esperava. 


O livro de memórias conta a história de Samantha Agatha McCoy, uma jovem que mora em uma cidade pequena no norte dos Estados Unidos e que sonha grande. Membro do clube de debate e Oradora da turma, Sammie deseja destacar-se academicamente, ir para NYU – faculdade de Nova Iorque, morar na cidade grande e posteriormente cursar direito em Harvard. Mas todo seu futuro metodicamente planejado sofre uma reviravolta quando ela é diagnosticada com NP-C (Niemann-Pick tipo C), uma doença genética degenerativa incomum para sua idade. Seus músculos e órgãos irão ficar fracos, mas os graves sintomas que a preocupam são a demência e a perda de memória.


“As limitações físicas não a impediriam de ser uma grande intelectual, mas não ter o controle do próprio cérebro é seu pior pesadelo”



Com isso, ela elabora uma alternativa para driblar os sintomas da doença com a finalidade de alcançar suas metas e ir para faculdade, e assim começa a escrever em seu notebook todas as lembranças essenciais para que no futuro, possa se manter fiel aos seus objetivos. Logo, o livro de memórias vai sendo construído com elementos do seu dia-a-dia, seu diário se compõe com cada vez mais com capítulos sobre sua família, sua amiga Maddie, Stuart – sua paixão, e Cooper – seu amigo de infância que reaparece. Nesse desenrolar você vai se emocionando e Sammie vai se redescobrindo.


“Sam do Futuro, eu tinha começado a ficar acordada à noite, pensando nas nossas conversas, rindo sozinha das coisas que Stuart tinha dito e lembrando daquela sensação de pequena explosão que eu sentia sempre que o fazia rir. Mas, desde a conversa com a Maddie, fiquei me perguntando se não tinha simplesmente dado muita importância para as horas que passamos no gramado da Dartmouth, jogando ideias para o alto, tirando palavras da boca um do outro.”
 Página 161




Samantha que começa com características de uma garota fria, inteligente, disciplinada e de beleza pouco convencional, aos poucos com sua atual condição começa a se arriscar mais, ter mais atitude, fazer coisas diferentes e a se abrir mais. Portanto à medida que você vai lendo vai conhecendo uma nova Sam.


“Como um corpo pode conter tantas pessoas diferentes?”
Página 298

Quem narra à história é a própria Samantha, mas há interação de outros personagens na narrativa. Esses são bem caracterizados, a autora conseguiu aproveitar bem tudo, o que faz com que a história seja mais dinâmica e rica, assim não fica uma leitura cansativa.


Achei o livro super interessante da capa aos agradecimentos, Lara foi muito feliz na forma em como construiu o livro. Características, como a ausência de títulos em alguns capítulos, a mudança da fonte de escrita e parênteses com observações de Sammie, deixa o livro íntimo e muito parecido com um diário – cumprindo a intenção da autora. Esses aspectos fazem com que o leitor entre mais profundamente na história, como se ela ganhasse vida, uma hora se sentindo a Sammie do presente e outra se sentindo a Sam do Futuro.

                                      


Essa história atingiu meu coração com toda a força, não e só porque eu gosto desse gênero, e sim, porque Lara Avery foi sensacional na forma em como constituiu essa obra. Ela faz Samantha como uma pessoa forte e madura e ao mesmo tempo com todas as inseguranças de uma menina da sua idade. O foco da narrativa não fica só na doença ela trata de tudo e de fora bem leve, com isso a leitura não fica pesada por causa da enfermidade da protagonista.
Toda essa obra de superação, aprendizado, redescoberta e amor, tornam O Livro de Memórias uma obra linda e deliciosa que vale muito a pena ser lida.




“Minha memória preferida é este livro inteiro porque ele é você...”
© Entre Páginas | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger