[RESENHA]: O Feiticeiro de Terramar - Ursula K. Le Guin (Ciclo Terramar - #01)


Título: O Feiticeiro de Terramar
Autor: Ursula K. Le Guin
Páginas: 176
Ano de Publicação: 2016
Editora: Arqueiro

Sinopse: “Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.
Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários. Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia. Ged é um predecessor em magia e rebeldia de Harry Potter. E Ursula K. Le Guin é uma referência para escritores do gênero como Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman.”


Olá amigos, tudo bem com vocês? Hoje trago a resenha do livro "O Feiticeiro de Terramar", minha escolha para voltar ao mundo da fantasia, e já adianto que não poderia escolher melhor. Confesso que comprei o livro pela capa, sem ler críticas, ver avaliações, nada mesmo! E que escolha maravilhosa, o livro é muito bem escrito, de uma forma que a gente se envolve completamente, e espera ansiosa pela conclusão.


O Feiticeiro de Terramar conta a história de Ged, um garoto que descobre por acaso ter o dom da magia. Seus feitos nessa arte levam a seu caminho Ogion, um feiticeiro de outras terras, que deseja ter Ged como seu aprendiz, e lhe ensinar o uso correto da magia. Ged fica muito empolgado com a idéia, e parte ao lado de Ogion, ansioso por aprender grandes feitiços e ser um grande mago. Mas nem tudo são flores, Ged é ansioso, orgulhoso e tem uma necessidade enorme de “se mostrar”, e quando a forma de Ogion de ensinar não é muito aceita pelo menino, Ogion decide enviar Ged para Roke, uma escola para jovens aprendizes de magia. E novamente Ged sai em busca de conhecimento e novas aventuras.

Desde cedo o menino mostra traços de personalidade bem complicados: é orgulhoso, exibido, às vezes invejoso, e de gênio forte; em Roke esses traços se fortificam, pois apesar de ser um bom aluno e lidar bem com os colegas, Ged quer sempre mais, necessita ser o melhor, se sente inferior e isso aumenta sua raiva e a necessidade de se provar, levando-o a atos imprudentes e perigosos, que deixam conseqüências marcantes para o resto da sua vida. Ged libera um mal na terra que o irá perseguir por muito tempo, e só a completa mudança de atitude, o amadurecimento e o autoconhecimento serão capazes de ajudá-lo a combater esse mal, e restaurar seu equilíbrio interior.

Anos mais tarde, mais velho e talvez mais sábio, Ged percebe que precisa enfrentar seus medos e seu maior inimigo, afim de finalmente ter paz, e concertar o erro que há tantos anos cometeu. O Feiticeiro de Terramar nos conta a história de Ged, desde o menino pastor até o feiticeiro que se tornou, e toda a sua jornada e aventuras até ali. 


Já que esta é a resenha das confissões, confesso que quando comecei a leitura de O Feiticeiro de Terramar, minhas expectativas foram lá no chão. Achei mesmo que não ia gostar, que seria uma leitura arrastada, não ia me prender, fiquei até com medo de desistir (e olha que não sou de abandonar uma leitura!). E o que provocou isso? Bem, de início, a forma de narração do livro. Gosto de livros ricos em diálogos, e OFDT (vou resumir pra ficar mais fácil rsrs) conta com um narrador em terceira pessoa, que está, na verdade, nos contando a história de Ged. São poucas as falas e diálogos, e até me acostumar a essa forma de narração, eu protelei a leitura um pouquinho. Outra dificuldade foi a constante mudança de cenários, fiquei um pouco perdida... Mas gente é uma jornada né? O moço tem que passar por vários lugares mesmo! E quando peguei o ritmo, a magia finalmente aconteceu!

O livro é extremamente rico. Em personagens, em cenários, em história. Acompanhar a jornada de Ged é realmente muito interessante, pois podemos entender como a mente dele funciona, sentir o que ele sente, e perceber com mais clareza seu amadurecimento de acordo com as situações que ele passa. Tudo é um aprendizado, e extremamente valioso por sinal. São as situações pelas quais Ged passa que o levam a entender seu destino, seu verdadeiro propósito, e se tornar a pessoa que estava destinado a ser.

Apesar de ser um livro com muitos lugares e personagens, poucos tiveram verdadeiro destaque, pois o objetivo do livro é realmente acompanhar a vida de Ged, e as pessoas só são mencionadas quando passam por seu caminho. Durante a leitura houve momentos que eu questionei “E fulano? O que aconteceu? Vai ficar por isso mesmo?”; algumas das minhas dúvidas foram respondidas, outras não, mas como entendi o propósito do livro, isso não prejudicou em momento algum minha leitura ou me fez desgostar do livro.

“Um mundo de fantasia fascinante, comparado à Terra Média de Tolkien ou à Narnia de Lewis.” – Amazon

A trama principal é bem envolvente, e durante toda a leitura me fiz as mesmas perguntas que Ged: O que é a sombra? Quem é? Como derrotá-la? Estava ansiosa pela conclusão desse mistério, e quando ela finalmente veio, fiquei extremamente satisfeita! Sabem quando um final se encaixa perfeitamente nas suas expectativas? Quando você vê os fatos se juntando, e fazendo todo sentido do mundo? Foi a minha sensação. Não poderia ter sido melhor, mais auto-explicativo, mais brilhante! A autora fez um ótimo trabalho, e me deixou ansiosa pelo próximo livro.

O Feiticeiro de Terramar é o primeiro livro de um ciclo. O segundo volume, “As Tumbas de Atuan” foi lançado em Maio/2017 pela editora Arqueiro, e já estou aqui ansiosa aguardando o meu! Recomendo muito a leitura para todos os fãs do gênero, tenho certeza de que vão gostar!

Beijos e até a próxima!

2 comentários:

  1. Uau! Eu vou assumir que já fiquei namorando essa capa, mas não é muito o meu género. Só que, eu gostei tanto da sua resenha, que me deixou muito curiosa.
    Parabéns pela resenha

    Beijos
    Leitora Dramática
    http://blogleitoradramatica.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Cah, tudo bem?
      Ah fico feliz que você tenha gostado da resenha! O livro é muito bom, um verdadeiro clássico, e vale muito a pena ser lido! Espero que você dê uma chance e goste ♥

      Beijos!

      Excluir

Olá, obrigada pela visita!
Gostou da postagem? Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!

~ Não respondemos comentários em anônimo.
~ Não é permitido o uso palavras ofensivas.
~ Não compartilhamos livros, não pratique pirataria e valorize o trabalho do autor.

Equipe Entre Páginas

© Entre Páginas | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger