[RESENHA]: O Menino Que Desenhava Monstros - Keith Donohue


Título:  O Menino Que Desenhava Monstros 
Autor: Keith Donohue
Páginas: 256
Ano de Publicação: 2016
Editora: DarkSide Books
Compre Aqui: O Menino Que Desenhava Monstros - Amazon
Skoob: O Menino Que Desenhava Monstros
Sinopse: "Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar. Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais. Na superfície, O Menino que Desenhava Monstros é uma história sobre pais fazendo o melhor para criar um filho com certo grau de autismo, mas é também uma história sobre fantasmas, monstros, mistérios e um passado ainda mais assustador."
Olá pessoal, como vão vocês? Como foram de Outubro, mês das Bruxas, muitas fantasias, doces e travessuras? Esse ano participei de um projeto de leitura coletiva com o Grupo do Amor (um grupo no whatsapp só de blogueirinhos amor), mas não consegui acabar o livro até ontem, e por isso a resenha só veio hoje, me perdoem! Em homenagem ao mês e as festividades, o tema escolhido para as leituras foi Suspense / Terror / Horror, e como eu morro de medo dessas coisas, escolhi o livro O Menino Que Desenhava Monstros, que me pareceu um pouco mais leve, um terror psicológico que eu fosse dar conta... Vem conferir a resenha e ver o que eu achei!

Jack Peter é um garoto de 10 anos com Síndrome de Asperger, um tipo de autismo que afeta a capacidade de se socializar e de se comunicar com eficiência. Três anos atrás ele e seu amigo Nick sofreram um "acidente" no mar e quase se afogaram, e desde então o menino se tornou mais fechado e recluso. Desenvolveu uma agorafobia aguda, não sai de casa a não ser que seja extremamente necessário, e nessas situações, conseguir trazê-lo para fora de casa é um grande sacrifício. 

A distração de Jack são seus jogos, que às vezes se tornam uma verdadeira obsessão. Por um tempo são jogos de tabuleiro, depois batalhas e guerras com bonecos, e enquanto Jack não enjoa, ele e Nick passam seu tempo juntos dessa maneira. Nick é o único “amigo” de Jack, e por isso faz o possível para se dar bem com o garoto,  mas nem sempre sua paciência ou compreensão são as melhores...


A mais nova distração de Jack é desenhar monstros, e enquanto Nick se inspira nos clássicos dos filmes, Jack traz coisas absurdas direto da sua imaginação. É uma situação como todas as outras já vividas pela família, até que, afetados ou não pelos desenhos, as pessoas a volta de Jack começam a ver e ouvir coisas estranhas e inimagináveis... Seria alucinação, imaginação, ou algo mais? O medo faz várias lembranças e segredos virem a tona, as pessoas começam a revelar o que jamais esperavam, e aos poucos vamos percebendo que os verdadeiros monstros podem estar escondidos dentro de nós. 


Essa foi uma resenha difícil de fazer, porque foi um livro difícil de ler. Sabe quando você não consegue se conectar de verdade com os personagens, e não consegue definir se está gostando ou não da história? Foi a minha sensação durante toda a leitura. Nos últimos capítulos consegui me entender com a história, desejar um final grandioso, e quando esse veio, foi um pouco, decepcionante.

Ao logo da história, vamos conhecendo Jack, sua família e os amigos próximos. O autismo de Jack o torna um pouco antissocial, em alguns momentos ele conversa, interage, mas em outros ele “desliga”, e se torna completamente alheio ao que acontece a sua volta. Seus pais tentam lidar com a situação de formas diferentes, enquanto o pai acredita que a condição de Jack é só uma fase, vai melhorar, e que ele pode exigir mais do garoto, a mãe tem suas ressalvas, acredita que Jack precisa de ajuda profissional, e as vezes chega a ter medo dele (e o fato de ele tê-la agredido em um dos seus ataques não ajuda muito). Ela as vezes questiona seus sentimentos pelo menino, e isso a faz se sentir tão culpada, e que ela começa a procurar ajuda na igreja.


A medida que todos na casa começam a ver e ouvir coisas, os nervos vão ficando a flor da pele e a realidade e imaginação começam a se misturar. Jack afirma o tempo todo que os monstros estão rondando a casa, e mesmo não tendo explicações para as situações estranhas, ninguém dá ouvidos ao garoto, até que Nick começa a perceber que Jack desenhou alguns dos monstros e situações que o assustaram, mesmo que não as tenha visto, e começa a perceber que o papel de Jack nessa história pode ser muito maior do que todos imaginam...

O final da história foi confuso, bem corrido, e na minha opinião, podia ser melhor. O livro seguiu toda uma linha de raciocínio ao longo da narrativa, e no final, muda para o oposto de uma forma não muito satisfatória. Eu me surpreendi, isso é um fato, eu não esperava por algumas revelações, mas ainda assim, elas não foram suficientes para me fazer gostar da conclusão da história.
Dentre todos os personagens, os que mais gostei foram Jack e sua mãe. Todos ali tem defeitos, escondem seus “pecados”, mas pra mim, os dois são os mais reais, Jack por não esconder suas imperfeições, e a sua mãe por seu defeito ser algo completamente humano, e pela forma como ela tenta lidar com ele, achar uma solução. Todos os outros são bem hipócritas na minha opinião, e não consegui gostar de mais ninguém.

A edição da Darkside está linda como sempre, e no final do livro tem algumas páginas em branco para que você possa desenhar os seus monstros. 


Espero que tenham gostado da resenha pessoal! Confiram aqui as outras resenhas participantes do projeto Leitura Coletiva:


Beijos e até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, obrigada pela visita!

Gostou da postagem? Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
É blogueiro? Deixe o link do seu blog para que possamos visitar :)


Equipe Entre Páginas

© Entre Páginas | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger