[RESENHA]: O Casal Que Mora Ao Lado - Shari Lapena


Título: O Casal Que Mora Ao Lado
Autor: Shari Lapena
Páginas: 294
Ano de Publicação: 2017
Editora: Record
Compre Na AmazonO Casal Que Mora Ao Lado
SkoobO Casal Que Mora Ao Lado
Sinopse: É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa, afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando.
Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta e Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.


O livro escolhido de hoje é sobre O Casal Que Mora Ao Lado do autor Shari Lapena  lançado pela editora Record. Um livro que se encaixa na categoria Suspense. Confesso que essa foi a minha primeira leitura do gênero suspense e acho que talvez eu não consiga me expressar muito bem. Espero que não decepcione vocês.   



Os personagens principais desse suspense são Anne (mãe), Marco (pai), Cora (a filha), Richard e Alice (pais da Anne) e Cynthia e Graham (vizinhos).

Nossa estória já começa quando Anne e Marco estão tentando socializar na casa lado, onde a presença de crianças foi vetada. Foi combinado entre o casal que em cada meia hora, um iria ver como Cora estava e também levaram a babá eletrônica para a festa. Eles estavam na casa ao lado, o que poderia acontecer afinal? Foi o que os pais pensaram. Então, Anne estava incomodada, queria voltar para sua casa e ficar com sua filha, a festa estava entediante para ela, mas Marco estava se divertindo e não queria ir embora. Por fim, por volta das 01:00 hr Anne conseguiu fazer com que Marco “se tocasse” que já era hora de ir embora. Ao sair da casa ao lado, a porta da sua casa estava entreaberta. Anne subiu as escadas correndo e ao chegar na quarto de Cora, o berço estava vazio e um grito saiu de sua garganta.  


Primeiro precisamos entender a situação do nosso do casal principal, Anne e Marco. Atualmente a Anne se dedica totalmente em cuidar da sua filhinha de apenas 6 meses. Cora é um bebê adorável, mas como todo recém nascido é necessário muito cuidado e atenção. Anne não trabalha e sua vida social também foi abalada com o nascimento da sua filha, ela encontra-se deprimida. Marco trabalha e no tempo livre cuida da Cora para sua mulher descansar. Eles moram em uma casa geminada, então escutam tudo que o casal ao lado fazem.  Já  Cynthia e Graham são um casal que escolheram não ter filhos.  Cynthia é uma mulher muito bonita, um corpo invejável e uma personalidade forte. Graham  seu marido viaja muito a trabalho, então é ausente nessa estória.

Ás 18:00 hrs daquela noite, a babá cancelou a sua presença. Anne queria cancelar a sua presença da festa da vizinha, mas Marco foi persistente e falou que ela precisa se distrair um pouco e que sua filha ficaria bem. Então, eles foram para a festa na casa ao lado.
Luzes da polícia estava em todas as paredes. Cora sumiu. Anne desabou. Marco tenta apoiar sua esposa. O detetive Rasbach recolhe todas as informações possíveis dos pais. Eles estão com vergonha do detetive, são pais imprudentes, em uma única noite:


Eles deixaram a filha de seis meses sozinha em casa.;
Beberam vinho (Anne estava amamentado);
Deixaram a porta dos fundos destrancada;
Deixaram a garagem aberta;

Rasbach é um detetive que sabe o que faz, não sabe (ainda) o que aconteceu naquela casa. Não sabe o que os pais fizeram com a filha, mas irá descobrir. No ínicio ele precisa desconfiar de tudo e todos. Começando pelos pais.  

“Porque, se tem algo que Rasbach  aprendeu durante os anos na polícia é que as pessoas são capazes de qualquer coisa”

Então, Marco não tem uma família estruturada, mas Anne tem seu pai (que na verdade e é seu padrasto) Richard  e Alise precisam saber do desaparecimento de sua neta, (sua única neta). Os pais de Anne tem muito dinheiro e não deixará a sua filha desamparada.

Com a polícia investigando a vida dos pais, os interrogatórios estão deixando Anne nervosa. Marco tenta acalmar a sua mulher e a Cynthia também não ajuda muito na situação. A imprensa cobra o casal também. Os dias estão passando e nada de Cora. Anne está sem chão. Onde está sua filhinha? Quem poderia ter pegado seu bebê? Alguém que saberia que o casal estava fora naquela noite.

Um pacote chegou dos correios e a roupinha que Cora estava usando na noite do desaparecimento estava lá, agora na mão de Anne. Ela tem esperanças que Cora está viva. Será que ela irá voltar?

Como esse foi o meu primeiro suspense não posso dizer que adorei o gênero ainda. O enredo conseguiu me prender,  porque eu queria saber o que aconteceu com a Cora e quem foi o culpado. Mas a reviravolta  que a estória apresenta ao passar das páginas me deixou muito confusa, mas os últimos capítulos são bem esclarecedores. No ínicio do livro eu já sabia quem culpar pelo desaparecimento de Cora, mas eu quebrei a cara, FEIO. Nunca imaginei que seria o que é. Um quebra cabeça que me enganou e me senti uma tola por pensar como tudo mundo.

Esse livro foi escolhido no grupo do Whatsapp #PPLIVROS para a primeira Leitura Coletiva de 2018. E, “todos” odiaram a vizinha Cynthia. Bom… eu não odiei ela tanto assim, por que já vi outros personagens que fizeram mais coisas que ela, não fiquei com muita raiva dela.

Gostei muito do detetive Rasbach, ele é um ótimo detetive e sempre está a frente de tudo e soube lidar com muitas loucuras.

Bom gente, é isso. Espero que tenham gostado da resenha.
Deixe seu comentário, ele é muito importante.
E, se você já leu me conta aí o que achou.
Até logo!


4 comentários:

  1. Olá!
    Também tenho pouca experiência com o gênero mas tenho me interessado bastante.
    Que bom que o livro ao menos conseguiu te prender e acho legal que seu palpite tenha sido diferente do que aconteceu! Finais previsíveis não são lá muito legais, né?
    Beijos,
    http://ofantasmaliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolinha,

      Então estou achando que esse gênero não é a minha praia.
      Finais previsíveis não é legal mesmo.

      Obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Oi, Lídia!
    Eu amo suspense e thrillers policiais!
    O gênero sempre me surpreende e prende.
    E a gente geralmente quebra a cara mesmo sobre quem foi, hahaha.
    Quero ler!

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Teca.

      Não é, a gente pensa que é uma coisa, mas é outra. Tirando o início do enredo, eu recomendaria esse livro.

      Obrigada pela visita!

      Excluir

Olá, obrigada pela visita!

Gostou da postagem? Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
É blogueiro? Deixe o link do seu blog para que possamos visitar :)


Equipe Entre Páginas

© Entre Páginas | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger